segunda-feira, 23 de março de 2009

A folha

OBS.: Não precisa ser leitor assíduo desse humilde blog para saber que é muito raro eu colocar um texto com a marcação "minhas redações" , ou seja, textos que não surgiram a partir de uma notícia, acontecimento, curiosidade, etc. (;

Isso acontece por "n" motivos...Entre eles, o meu tosco medo de críticas e falta de inspiração/tempo. O poema abaixo é o primeiro que coloco...espero que gostem *-*
A folha
Numa tarde de outono
Um chá quente com gelo
Conforta e aquece
A suave brisa da indecisão
Vislumbrar, sentir...
Sentir o quê?
Os erros e defeitos?
A ponta de um iceberg,
seriam eles?
Vislumbrar, sentir, escrever!
Na velocidade da luz
Cada letra diz “adeus”
Da sofrida folha nunca escrita
Para uma terra sem críticas
Escrever ou não?
Fogo ou gelo?
Abrir as portas para críticas e receios...
Ou fechá-las?
É chegada a hora
De um chá quente com gelo
Conforta e aquece
A suave brisa da indecisão

Um comentário:

Agostinho Lopes disse...

Bravo, Nina... Muito bonito e cheio de significado. Conseguisse "pintar" tua indecisão ao citar o "chá quente com gelo".

Gostaria de ler mais de tu.